Sabia que a biomassa é considerada à escala humana, se não for posto em causa o equilíbrio do carbono, uma energia renovável?
Isto porque a libertação de CO2 associada à queima da biomassa, que converte a energia química da biomassa em energia térmica, é contrabalançada pelo aprisionamento do carbono existente na atmosfera por novas plantas.


A biomassa é o tipo de combustível obtido ou derivado a partir de matéria animal ou vegetal. É matéria orgânica de origem recente ao contrário de combustível fóssil que levou milhões de anos a formar-se.

Pode ser obtido directamente a partir de árvores ou culturas ou indirectamente de desperdícios industriais, resíduos de madeiras comerciais ou agrícolas. Tem uma grande versatilidade como fonte de energia pois permite obter mediante procedimentos adequados combustíveis sólidos, líquidos e gasosos.

Ao considerar a biomassa como alternativa energética deve-se ter em conta a sua disponibilidade local uma vez que no transporte da biomassa pode ser posto em causa o equilíbrio de carbono.Quanto mais afastada estiver a fonte de biomassa do local de geração de energia mais esse equilíbrio será afectado pelo que fontes locais de biocombustível tem de ser tomadas em conta.

Note-se que a densidade de energia dos biocombustíveis sólidos é relativamente baixa. Com base nas limitações acima dever-se-á considerar as instalações a biomassa apenas numa perspectiva de descentralização. Tornam-se assim ideais para aproveitamento energético em espaços rurais e espaços urbanos que não distem muito de manchas florestais..

O tipo de biocombustivel sólido e as suas características físicas (tamanho, densidade, conteúdo em água, poder calorífico e composição química) utilizado influencia todo o processo de utilização térmica (abastecimento do combustível, sistema de combustão, emissões sólidas e gasosas).

Saiba mais sobre ... Gaseificação